domingo, 31 de julho de 2011

Me Fu...

Preciso me benzer!

Ontem minha mãe fez bobó de camarão. Daí que seu alérgica a camarão. Tive uma reação violenta depois de comer um strogonofe de camarão na Vivenda do Camarão - porra, tava bom demais, lembro até hoje do sabor.

Enfim, fiquei tão traumatizada com o tal do edema de glote (vi a avó pela greta) que em festinha de aniversário peço prá alguém abrir o salgadinho prá mim antes de morder, prá olhar o recheio.

Então, daí que minha mãe fez o bobó... E fez filé de peixe prá mim. Alguma coisa se misturou na cozinha, apesar de todo o cuidado dela, e eu comecei a passar mal. Muito mal. Urticária, sensação de bolo na garganta. Ao primeiro sinal que tinha algo errado pedi prá meu irmão me levar lá no serviço. Resultado: duas furadas e uma tarde ensolarada de sábado de molho na maca. Bom, pelo menos ganhei uns chamegos do benzinho, que tava de plantão e passou por la prá me ver, todo estropiado.

Daí prá encerrar o findi, agora comecei com diarréia. Estou com cólicas, minha barriga parece de uma grávida de 9 meses, toda distendida. Um mal estar do capeta.

Sai, uruca! 

quinta-feira, 28 de julho de 2011

PUTAQUIUPA!!!!

Ontem recebi um telefonema. Aliás, mais de um. Notícia em primeira mão:

"Lô, Júnyor bateu de moto. Estava no Hospital, agora tá em casa. Ele até machucou pouco, diante do fato de a moto dele (tirada havia poucos minutos da loja) ter ficado destroçada pela pista."

Então, foi isso...

Eu não sei o que dizer a nenhuma de vocês agora. Claro, a não ser obrigado...

Falei com a mãe dele hoje, no serviço. Ele sangra bastante e sente muita dor. Como é uma família de enfermeiros - fora o pai, a mãe e os 3 filhos são da área - ele tem sido medicado em casa.

Ninguém ligou antes devido à tensão que o fato gerou. Ontem ele telefonou às 15h. Com voz fraca, pediu desculpas.

Penso em ir visitá-lo amanhã. Fiquei preocupada, confesso.

Eu devo um pedido de desculpas a vocês, né?

Mudando  um pouco o foco da coisa:

MILAAAAAAA!!!!!!! VOCÊ VEM PRÁ VITÓÓÓÓRIAAAAAA????????

Putz cara, me empolguei geral agora!!!! Te busco na rodoviária aeroporto!! Ai que essa ilha fica pequena prá duas gatonas que nem nós! Hahahahahahahahaha!!!!

Meninas, uma coisa... O "amigo" que reclamou do sumiço é um ex-peguete... Prá falar bem a verdade, até que não era má idéia não... É um ex-modelo (siiimmmmmm, a tia aqui se deu de bem!), um amorzinho de pessoa. Andava meio enrolado aí, por isso eu me afastei. Mas, enfim... Não respondi o torpedo ainda. Não sei se responderei.

Ai, minha cabeçona tá um caos.

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Hoje amanheci pensando em você

Pois é... Acordei com o telefone tocando, tinha chegado mensagem. Era um amigo, reclamando do sumiço. Mas eu me sobressaltei, porque tem muito tempo que acostumei a acordar todo dia com uma mensagem sua, como um despertador que fazia carinho. Por um momento eu pensei que pudesse ser você me oferecendo café da manhã na cama. Mas não era.

Fazer o quê, né?

terça-feira, 26 de julho de 2011

Sobre o dia de hoje

Fui ao salão, porque lugar de mulher deprimida é no salão. Meu cabelereiro, Rodrigo, tentou, mas não me arrancou nada, porque eu não queria falar, não queria cair na mesmice de ir pro salão desabafar com o amigo gay. E porque não queria chorar mais.

Mas fui lá. Tinha tempo que tinha cortado o cabelo. Alás, cortei um dia antes de sair com o digníssimo. Sentei na cadeira e disse: "pira, Rodrigo". Lembrei da Lília Cabral em "O Divã", mandando o Pierre repicar - "repica, Pierre, repica".

Saí de lá de cabelo novo, lindo. Ficou igual ao da Vanessa Giácomo, da novela das 7h. Escovei com menos volume, mas ainda assim ficou lindo.





Antes, pela manhã, liguei prá escola de dança mais famosa da cidade. Me matriculei e amanhã começo aulas de samba de gafieira, soltinho e bolero. Distração prá cabeça e atividade física ao mesmo tempo. Tô precisando mesmo.

Então, como foi o dia de vocês?

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Dos sintomas, do diagnóstico e do tratamento

Os sintomas são claros. Manifestações de descaso, desrespeito, falta de consideração.

O diagnóstico acaba sendo preciso. A solução é óbvia.

O que poderia ser um namoro chega ao fim.

Eu não tenho palavras prá descrever o quanto eu estou emputecida. Ele veio aqui hoje, lá pelas 16h. Estava com a moto do amigo. "Vou devolver a moto, tomo um banho (estava em treinamento desde cedo) e volto prá gente passar um tempo junto; te devo essa depois de sexta, né?"

Eu me arrumei. Eu tomei banho de princesa, dei massagem nos cabelos (que ficaram lindos), revirei a gaveta atrás da lingerie bonitona.

E esperei. E ele não veio de novo. E não ligou.

Chega. Eu sou uma pessoa boa. Não faço mal a ninguém, trabalho honestamente. Crio meu filho sozinha, uma batalha diária que enfrento de cabeça erguida. Tento pagar as minhas contas em dia. Só falo palavrão quando ninguém tá ouvindo. Sorrio enquanto trabalho, prá tornar algumas tarefas da profissão mais leves até para o paciente. Não chuto cachorro na rua.

Então eu não mereço ser tratada de uma forma que classifico como indigna. Não mereço ser tratada com desrespeito.
Mas eu sou mulher, e eu sou humana, e agora eu estou muito aborrecida. Estou muito triste. E eu estou chorando sim, e daí? Estou chorando muito mesmo, porque dói a gente confiar numa pessoa e ela sacanear feio. Porque dói ser tratada como se a palavra 'idiota' estivesse escrita na minha testa. Porque tem 20 dias que venho sendo tratada assim, mas fico insistindo sendo compreensiva, sendo complacente com tudo. E eu estou chorando porque estou com raiva de mim por ter pensado que os 7 anos de uruca tinham acabado, daí devotei os meus sentimentos mais cristalinos a uma pessoa opaca. Estou chorando porque eu estou vendo o 8º ano chegar. E porque eu estou enfurecida e nem posso partir prá cima de ninguém, uma vez que o ser humano sequer aparece prá eu vomitar tudo na cabeça dele. Porque agora eu queria queimar a minha mão no fogão prá ver se a dor me fazia esquecer da raiva absurda que eu sinto. Estou chorando porque eu tenho o direito de sentir tristeza, porque é assim que vou colocar isto prá fora, porque precisa sair por algum buraco, então que seja pelos olhos.

O diagnóstico disto é mágoa.

O tratamento é tempo. Isso também passa, sempre dizem.

Antes foi "todas comemora". E agora??

sábado, 23 de julho de 2011

Pensa numa mulher...

Emputecida. Sim, pensem numa infeliz duma mulher emputecida porque o namorado dela não veio. Ele é socorrista. Passou o dia socorrendo, inclusive ocorrências graves.

Então pensem numa mulher enputecida porque seu namorado não apareceu.

Não sei até onde eu levo isto.

terça-feira, 19 de julho de 2011

Paciência e outras coisas

Namorar um socorrista requer uma dose de paciência além do normal. Benzinho consome a minha toda. Agora tenho que aprender a controlar minha ansiedade, porque ver namorado que tem 3 empregos é uma missão quase impossível. O cansaço dele é real, e acaba atrapalhando bastante.
Às vezes fico meio frustrada. Porque eu queria tanto uma companhia, e ela se faz presente só pelo telefone... Já nem tenho conta de quantas vezes precisei apagar as mensagens que recebo o dia todo, porque a caixa de entrada lota. É uma delícia. Mas eu sinto falta do cheiro, do abraço, do gosto... Até porque, se alguém visse a estampa da figura, entenderia bem, rsrs.
Bom, vamos levando...

Falando em relacionamentos, a Pri postou um texto do Jabor sobre isso, falando de como o pessoal anda valorizando esses relacionamentos relâmpagos, essa coisa do "ficar"... Eu sou dessa geração, mas vou na contramão da coisa toda, porque eu vi que não tem nada melhor que abraço sincero, que dedinhos entrelaçados prá passear no calçadão. O pessoal aprende...

*****

Falando em paciência, li agora pouco o blog da Miloca, descrevendo a cefaléia que ela teve com um motoqueiro. Putz, essa semana andei tendo muitos problemas com eles. Ontem mesmo, um bonito quase me arranca o retrovisor esquerdo, e eu caí na besteira de abrir a boca prá reclamar... Ainda bem que o sinal abriu na hora e ele arrancou, porque eu ia apanhar pela janela. Ô povo difícil de lidar!

*****

Falando em trânsito e afins, meu irmão resolveu comprar um Fusquinha. Ano 83, restaurado. Até engraçadinho. Colocou hoje na oficina prá avaliação. Porque por fora a viola tá bela, mas vai saber, né? Claaaaaaro que eu já anunciei que ele vai ter que me emprestar o carango, e imagina a Dona aqui desfilando de fusca... Acho que nunca comentei aqui, mas toda minha família é louca por fusca. Temos nossos carros (terei o meu em breve, Deus tá ouvindo!), mas um fusca e um sonho comum de todo mundo. Daí já ficamos todos ligados em entrar pro Clube do Fusca de Vitória, que é um luxo só. São veículos raros, restaurados, com peças originais. Eles promovem encontros, a imprensa tá sempre por lá, tem cada carro charmosinho que só! Aaaaah, eu vou lá também! Me amarro nessas coisinhas!

*****

Boa noite!

domingo, 17 de julho de 2011

sábado, 16 de julho de 2011

Abro agora minha caixa de e-mails e tá lá o famoso texto creditado a Herbert Viana, sobre a loucura com cirurgias plásticas e afins.
Tá, fora o fato de ninguém, ou pelo menos eu, saber se de fato foi o HV que escreveu tais linhas, me incomodou uma coisa: ele foi enviado a mim por uma colega que, há uns anos atrás gastou rios de dinheiro (inclusive grana da herança da irmã) com plásticas, prótese de silicone...
Ai-ai! Agora envia e-mail criticando? Gente, que os deuses me poupem destes 'pseudo-intelectuais da net'...

*****

Estou eu no salão - antes vou esclarecer que detesto ir a salão de beleza, mas ultimamente tenho feito muito mal as unhas, então prefiro uma profissional habilitada prá me cutucar os dedos - que fica em frente à casa de meu avô. Lá estava uma vizinha, terminando de ser atendida. Ela não quis pintar as unhas hoje. Disse que só quarta-feira pintaria, e, pronunciando com muita clareza e pausadamente, declarou num tom de voz um pouco mais alto:

"Quarta-feira irei ao Teatro Carlos Gomes (o municipal de Vitória), assistir ao Wagner Tiso. Preciso dessas unhas perfeitas, meu bem."

Ok, qual o mais ridículo? Ela pensar que vai ser achada muito importante porque vai ao Carlos Gomes com ingresso de cortesia dos Correios - onde ela trabalha? Ou ela achar que, no bairro humilde onde ela também mora, todo mundo vai babar porque afinal, é o Tiso? Ela achar muito fino falar onde vai prá todo mundo ouvir, como se isso fosse vantagem?

Cara, o foda é o tal do pobre, né? O povo vai ali numa peça de teatro, tira uma onda... Todo mundo cagou e andou pro comentário, eu fiz que nem escutei, pro bem dela, porque se me perguntasse qualquer coisa, meu aparte seria mortal...

Prá porra! Troço que me irrita é gente tentando se achar mais que os outros... Tá todo mundo no mesmo planeta, cacete!

domingo, 10 de julho de 2011

O foda não é seu namorado passar o domingo de plantão socorrendo gente feito um louco. O foda é ele não conseguir sair de uma reunião sem assunto em pleno domingo. Dá um tempo, Remocenter!!!

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Valeu, Murphy...

Sim, só ele tem o poder de te fazer se foder de verde e amarelo. Lei dos infernos!

*****

Agora há pouco tava comentando com Borbô sobre a frustração. Caraca, mistura revolta com impotência. Daí vem esse tal de Murphy...
É legal a gente pensar que tá por cima da carne seca. Bom mesmo é se achar mega imune a um monte de coisas. Mas tem que vir alguém e te abrir os olhos...

Prá casa do cacete todo mundo.

É, hoje eu não tô boa.

sábado, 2 de julho de 2011

Indo festejar bodas de prata de uma amiga. Depois, encontrar Benzinho. Vamos festejar a aprovação dele no SAMU. Tô mega feliz, mega orgulhosa. E ele ai ficar lindo de macacão azul.

*****

Cara, adoro maquiagem. Procuro usar produtos de qualidade, e não desdenho AVON, Natura, Payot... Mas tem alguma coisa errada, porque estou com os olhos ardendo um pouquinho, como na sensação de sono... Será o make? Puxa vida, tá tão lindo...

*****

Partiu! Até!